Editor de texto do PJe passa por últimos testes

juiz CNJ Bráulio Gabriel Gusmão

Usuários do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conselheiros e assessores, iniciaram os últimos testes do novo editor de textos que integrará o Processo Judicial Eletrônico (PJe). O objetivo é que, a partir de janeiro de 2020, todos os documentos, no contexto do CNJ, produzidos na plataforma sejam processados num editor de texto multiplataforma disponível na suíte LibreOffice. A ferramenta foi customizada para atender às necessidades do PJe. Com a mudança, a produção de documento deixa de ocorrer em HTML e passa a ser feita em um software próprio, de código aberto compatível com vários formatos de softwares.

Após concluída a fase de testes, em janeiro, o novo processador de textos do PJe começará a funcionar no CNJ e, em seguida, será disponibilizado para todos os tribunais, que farão a implantação e a homologação nas versões que utilizam.

Mais informações AQUI 

 

Compartilhe

Publicações Relacionadas

De volta ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) após quatro anos e 10 meses de afastamento, o conselheiro Sérgio Ricardo fez questão de…